Oi gente, tudo bom?

De um tempo pra cá ando assistindo a muito mais filmes do que antigamente e quis trazer um pouco disso aqui para o blog. A indicação de hoje é de um dos meus nacionais favoritos.


Diretor(a): Julia Rezende
Elenco: Caio Blat, Leticia Colin, Emílio de Mello, Felipe Camargo, Sylvio Zilber e Silvio Guindane
País de origem: Brasil
Lançamento: 2015
Classificação: 14 anos
Sinopse:

Bruno e Amanda se conhecem durante um voo Rio-São Paulo. Ela é uma publicitária paulista bem sucedida, ele, um promissor artista plástico carioca que está tentando se encontrar.  Os dois vivem um romance a distância cheio de desafios. 




Bruno e Amanda se conhecem durante uma escala de voo e passam a noite juntos, num desses esbarrões da vida. Ela é carioca e leva a vida com calmaria, ela é paulista e está focada em seu novo cargo no trabalho. O velho clichê sobre como os opostos se atraem.
Você provavelmente já deve ter assistido pelo menos meia dúzia de filmes com essa temática, mas esse é de certa forma diferente dos outros.  Certo, o casal briga e separa e existem alguns percursos ao longo do caminho como todo bom filme clichê, mas ainda assim é diferente.

Bruno mora no Rio de janeiro e a Amanda em São Paulo, e só esse fato faria a maior parte das pessoas agir racionalmente e se afastar, não eles. Um dos principais motivos pelo qual sou apaixonada por esse filme é porque ele me mostrou (e me lembrou) que quem quer estar junto da um jeito. Pega ônibus no meio da madrugada, vende o carro para conseguir dinheiro, gasta com plano do celular, faz chamada por skype às 4 da manhã quando sente saudades, demonstra mesmo estando com medo. Semana passada o assisti pela terceira e mais uma vez me peguei torcendo pelos personagens apesar de já saber o final.
Outra coisa que aprendi com Ponte aérea é que não importa o quanto você tente, o quanto você queira ou anseie por algo ou alguém se não for pra ser simplesmente não será. Você pode tapar os ouvidos para isso o quanto quiser, mas no final a vida te mostra de um jeito ou de outro que é impossível ter controle sobre tudo.
Afinal de contas os opostos se atraem, mas os dispostos ficam.

Beijo galáctico, Tami <3.

Deixe um comentário